Meu filho tem Autismo

Dedico ao meu filho, Johannes Heinrich, que
tem sido um verdadeiro presente de
Deus para mim, permitindo-me
crescer a cada dia, na busca pelo
decifrar do “enigma autismo

 

A descoberta

Quando começamos a ver o comportamento do nosso pequeno Johannes Heinrich, diferente dos demais da sua idade ( 18 meses),  pois não havia da parte dele interesse em nada ao seu redor- brinquedos – crianças  - enfim,  tudo que nesta idade corresponde.

Começamos então, a nos preocuparmos, e é claro que muitos deram o seu diagnóstico (pessoas comuns),  não se preocupem, as vezes é preguiça de falar- outro dizia é normal,  meu filho veio a  falar com 5 anos, e outro,  é porque é filho único e é mimado e assim foram vários... mas, o problema não era só a questão da linguagem era também o comportamento,  ficava horas, (se deixasse),  com o olhar fixado em algo que não fazia sentido, balançava horas(se deixasse) para frente e para trás não demonstrava interesse pelos seus brinquedos,  bolas, carrinhos coisas que normalmente a criança do sexo masculino gosta., Então começamos a levar em vários Neuros(famosos) os quais, alguns se mostraram totalmente desinformados (hoje posso afirmar isso), alguns deles, sem nenhuma análise detalhada, apenas com exames simples e corriqueiros,  teve a ousadia de dizer que meu filho era surdo, e que precisava operar, e já foi querendo encaminhar e tudo mais, e eu não aceitei, pois não acreditava naquele diagnóstico, então fui para outro também FAMOSO,  esse foi mais brando, disse que ele tinha um retardo mental precisava fazer terapia com psiquiatra, depois de correr a vários e não conformada fui a outro neuro FAMOSO, e esse foi mais correto, fez vários exames no Johannes Heinrich, inclusive de audiometria completo, para saber como ele responderia e dar um diagnóstico mais preciso. Então veio o diagnóstico  “SEU FILHO É AUTISTA”, e não tem cura.

Na verdade aquilo era estranho,  pois não se sabia  o que era autismo,  eu mesma nunca tinha ouvido falar sobre esta síndrome,  os próprios médicos  tinham  poucos conhecimentos a respeito desta síndrome.

Esta síndrome por sua complexidade e o seu total desconhecimento na época (24 anos atrás), era um tiro no escuro.  Pois o que fazer, foi a PERGUNTA?

Começamos então a pesquisar, ler, buscar mais informações, inclusive lá fora.

Dentre nossas buscas, o Johannes Heinrich começou suas terapias  com a Dra. Ana Vasconcellos, (fono), muito conceituada, ( a quem  agradeço o carinho e atenção, o meu muito obrigada),  que foi o nosso suporte para outras conquistas.

Depois fomos para a Europa,  Inglaterra onde foi atendido por uma especialista inglesa em autismo, a Psicanalista Frances Tustin (muito famosa na época-hoje falecida), levamos todos os laudos daqui do  Brasil

E o diagnostico continuava o mesmo AUTISTA.

Mais tarde fomos a (antiga Tchecoslováquia), onde fizemos os exames de carga genética.

E o diagnóstico continuava o mesmo AUTISTA

Por fim ficamos um tempo na Alemanha (terra do pai do Johannes), onde o  levamos em um centro clínico de autismo (escola),  com o mesmo diagnóstico AUTISTA... aprendi que tenho que dar o Maximo de mim, estar presente constantemente em sua vida, acompanhando, participando e dedicando todo o meu tempo e amor, sem perder a referencia de que essas crianças precisam   - limites.